Relato de Caso - Ano 2019 - Volume 9 - Número 1

Kerion celsi: Um relato de caso

Kerion Celsi: A case report
Kerion celsi: Um relato de caso

RESUMO

OBJETIVOS: Relatar o caso de um paciente com infecção fúngica superficial da haste capilar e folículos do couro cabeludo, denominada Kerion celsi.
MÉTODOS: Paciente do sexo masculino, 7 anos de idade, com lesões eritematodescamativas, alopecia e linfadenomegalia cervical, acompanhado durante internação por 7 dias e por mais 60 dias em retornos periódicos. Foi estabelecido o diagnóstico de Kerion celsi e realizado tratamento com griseofulvina (500 mg/dia) por 60 dias e cetoconazol xampu.
RESULTADOS: Houve resolução completa das lesões após o tratamento com griseofulvina (500 mg/dia) por 60 dias e cetoconazol xampu, porém com permanência da alopecia.
CONCLUSÕES: A Tinea capitis é uma infecção fúngica do couro cabeludo que, na maioria das vezes, apresenta-se com áreas pruriginosas de descamação e perda de cabelo. O Kerion celsi é uma manifestação grave da Tinea capitis resultante de uma intensa resposta imune à infecção causada pelo fungo Microsporum canis. Neste relato de caso, ressalta-se a importância do diagnóstico precoce e do tratamento para que se possa evitar o aumento da transmissão e das sequelas deixadas por essa infecção fúngica.

Palavras-chave: Infecção, Fungos, Griseofulvina, Cetoconazol.

ABSTRACT

OBJECTIVES: To present the case of a patient with superficial fungal infection of the hair shaft and leaflets of the scalp, called Kerion celsi.
METHODS: A 7-year-old male patient with erythematous lesions, alopecia and cervical lymphadenomegaly, followed during hospitalization for 7 days and for 60 days in periodic returns. The diagnosis of Kerion celsi and treatment with Griseofulvin (500 mg / day) for 60 days and ketoconazole shampoo were established.
RESULTS: There was a complete solution of the lesions after treatment with Griseofulvin (500 mg / day) for 60 days and Ketoconazole shampoo, but with permanence of alopecia.
CONCLUSIONS: Tinea capitis is a fungal infection of the scalp that most often presents with areas of overdose and hair loss. Kerion celsi is a severe manifestation of tinea capitis resulting from an intense immune response to the infection caused by the fungus Microsporum canis. This case report emphasizes the importance of prior diagnosis and treatment so that you can avoid increased transmission and sequelae left by this fungal infection.

Keywords: Infection, Fungi, Griseofulvin, Ketoconazole.


INTRODUÇÃO

As lesões de couro cabeludo possuem um amplo diagnóstico diferencial, como dermatite seborreica, alopecia areata, tricolomania, psoríase, foliculite decalvante ou pioderma2 e lesões fúngicas. Dentre as infecções fúngicas, a Tinea capitis é uma infecção que, na maioria das vezes, apresenta-se com áreas pruriginosas de descamação e perda de cabelo. As principais etiologias são as espécies de Trichophyton, Microsporum e, raramente, Epidermophyton3,6. A Tinea capitis, causada por fungos do gênero Microsporum, é a dermatofitose mais comum da infância, particularmente entre os 6 e 10 anos, podendo ser muitas vezes contraída de outro humano ou animal por meio do contato direto3,6.

Os achados clínicos mais comuns são áreas escamosas únicas ou múltiplas com alopecia e pontos pretos nos orifícios foliculares que representam pelos quebrados. A doença pode ter várias apresentações clínicas, desde uma descamação não inflamatória até uma severa erupção pustular com alopecia, designada de Kerion celsi2,6. Kerion é uma manifestação grave da Tinea capitis resultante de uma intensa resposta imune à infecção5. É caracterizada pelo desenvolvimento de uma placa inflamatória com pústulas e crosta espessa e, se persistente, pode levar a alopecia cicatricial5,6.

Os autores pretendem alertar para uma situação que requer alta suspeição diagnóstica e tratamento ágil para minimizar os efeitos permanentes.


DESCRIÇÃO DO CASO

Paciente do sexo masculino, 7 anos de idade, procurou serviço de pediatria com lesão eritematodescamativa, presença de alopecia e nódulos supurativos em região occipital direita, com evolução de aproximadamente 3 semanas. Negava febre, presença de imunodepressão ou trauma recente. Relatava contato permanente com animais domésticos (gato e cachorro). Havia sido tratado previamente com cefalexina (500 mg de 6/6 horas) durante 7 dias, pensando-se em abscesso bacteriano. Ao exame físico apresentava lesão em placa na região occipital direita, eritemato-descamativa, dolorosa, com intensa supuração e queda de cabelo localizada, medindo aproximadamente 4 cm de diâmetro (Figura 1). Apresentava também linfonodomegalia palpável em cadeias cervicais anteriores e posteriores e cadeia occipital direita, todos móveis, de consistência fibroelástica, indolor, não supurativo e não aderido a planos profundos.


Figura 1. Lesão em placa na região occipital D.



Após o diagnóstico clínico, pelo exame da lesão, foi iniciado tratamento com ceftriaxona e clindamicina, por suspeição de uma infecção bacteriana secundária. Foram solicitados exames laboratoriais, como hemograma e PCR, para confirmar a hipótese diagnóstica, além de obtenção de amostras para cultura através de raspado da lesão. Os exames laboratoriais não mostraram alterações significativas. Após 4 dias de evolução foram observadas lesões vesico-papulares (Figura 2), com halo eritematoso, e pruriginosas em região cervical posterior, abdominal e em MMSS. Não foi iniciado nenhum tratamento específico para essas lesões, por se tratar de miliária, que o paciente apresentava além da lesão de couro cabeludo. A miliária foi resolvida apenas com higiene local.


Figura 2. Lesões vesico-papulares na região cervical posterior.



Na cultura do raspado da lesão occipital, isolou-se o fungo Microsporum canis e estabeleceu-se o diagnóstico de Kerion celsi. O paciente foi tratado com griseofulvina oral (500 mg/dia) por 60 dias, e o uso diário de cetoconazol xampu. O tratamento com antibiótico foi realizado por 7 dias para tratamento de possível infecção bacteriana secundária Figuras 3 e 4.


Figura 3. Lesão após 3 dias tto.


Figura 4. Lesão após 8 dias tto.



Após 30 dias, a lesão estava quase completamente resolvida (Figura 5), pois ainda permanecia hiperemiada devido ao processo inflamatório, apresentava pouco crescimento de cabelo e desaparecimento da linfadenomegalia. Houve resolução completa da lesão após 60 dias de tratamento, com permanência de alopecia na região.


Figura 5. Lesão após 30 dias tto.



DISCUSSÃO

A Tinea capitis é uma infecção do couro cabeludo, folículos capilares e pele intermediária, causada principalmente por espécies antropofílicas e zoofílicas dos gêneros Trichophyton e Microsporum1. É uma infecção fúngica com um impacto social marcado, causando grande preocupação e levando à restrição de atividades sociais e da frequência escolar pela criança infectada2. Trata-se de uma infecção superficial que atinge principalmente a haste capilar e os folículos. Ao nível mundial, o principal agente causador é o Microsporum canis. A população mais afetada são crianças em faixa etária escolar, sendo rara em adultos. A transmissão ocorre através do contato com animais infectados, solo e de pessoa para pessoa.

O diagnóstico de Tinea capitis é feito pela observação, por meio de microscopia óptica, de elementos do fungo em amostra de cabelo ou pele infectada. A colheita das amostras de pele deve ser feita nas zonas de alopecia por raspagem. Os cabelos devem ser igualmente raspados do couro cabeludo e não arrancados4. Para estabelecer o agente específico, deve ser realizada a cultura, o exame mais sensível e confiável para a identificação do agente causal da Tinea capitis2.

O tratamento de escolha para o Kerion celsi é griseofulvina por via oral, na dose de 10 a 20 mg/kg/dia, durante 6 a 8 semanas1,2,5, podendo ser utilizados também o itraconazol e a terbinafina2.

A abordagem desse tema teve como objetivo alertar quanto ao diagnóstico e tratamento, visto que esta é uma doença de fácil transmissão, mas que a demora em instituir o tratamento correto pode culminar em um aumento no número de portadores assintomáticos da doença. Deve-se ressaltar que é importante fazer o diagnóstico diferencial entre o Kerion celsi e infecções bacterianas do couro cabeludo, uma vez que possuem tratamentos diferentes. O atraso no tratamento resulta em graves problemas sociais decorrentes da marca permanente, a alopecia regional, que pode acarretar problemas de autoestima nas crianças.


REFERÊNCIAS

1. Kakourou T, Uksal U. Guidelines for the management of tinea capitis in children. Pediatric Dermatology. 2010; v. 27, n. 3.

2. Peixoto AB, Novis CFL, Vilela GM, Lerer C. Kerion: a importância da sua diferenciação com infecção bacteriana do couro cabeludo. Relato de caso. São Paulo: Rev Bras Clin Med. 2012; 10(3):243-245.

3. Anahory B, Santos P, Borges M. Querion do couro cabeludo - A propósito de um caso clínico. Lisboa: Rev Port Med Geral e Familiar. 2013 nov; v. 29 n. 6.

4. Hernández T, Machado S, Carvalho S, et al. Tinhas do couro cabeludo na idade pediátrica. Nascer e Crescer, Revista do Hospital de Crianças Maria Pia. 2004; 13(1):23-26.

5. Monteiro, Martins, Monteiro, Paiva & Fagundes. Kerion celsi por Microsporum gypseum. Rio de Janeiro: Anais Bras Dermatol. 2003 Mai/Jun; v. 78 n. 3.

6. Silva SF, Teixeira C, Machado S, Marques L. Kérion celsi: uma complicação rara da Tinea capitis. Nascer e crescer. Birth and Growth Med J. 2017; v. XXVI, n. 2.










1. Residente de Pediatria, Departamento de Medicina e Enfermagem, Universidade Federal de Viçosa, UFV
2. Pediatra. Professora-Adjunta I e Preceptora do Curso de Medicina e da Residência de Pediatria, Departamento de Medicina e Enfermagem, UFV
3. Acadêmico de Medicina, Departamento de Medicina e Enfermagem, Universidade Federal de Viçosa, UFV

Endereço para correspondência:
Brunnella Alcantara Chagas de Freitas
Universidade Federal de Viçosa
Av. Peter Henry Rolfs, s/n - Campus Universitário
Viçosa - MG, Brasil. CEP: 36570-900
E-mail: brunnella.freitas@ufv.br

Data de Submissão: 29/06/2017
Data de Aprovação: 28/12/2017