VOLUME 3 - NÚMERO 1 Jan/ Abr - 2013

Editorial
Ponto de Vista
Artigo Original

3 - Compreensão da prescrição de medicação líquida por acompanhantes na emergência pediátrica

Caregiver understanding of liquid medication prescription at an emergency health care unit

Compreensão da prescrição de medicação líquida por acompanhantes na emergência pediátrica

Bianca Carareto Alves Verardino; Maria Amelia Coutinho Sayeg Campos Porto

Resid Pediatr. 2013;3(1):11-16

Resumo PDF Português
INTRODUÇÃO: Erros no seguimento da receita médica podem gerar consequências negativas para o paciente. No contexto da prescrição pediátrica esse fator se agrava, dado que o cuidador é o responsável pela compreensão e administração da medicação. OBJETIVOS: Nosso estudo objetivou descrever a frequência de erros no entendimento da prescrição de medicação líquida por acompanhantes de crianças atendidas em uma emergência pediátrica. MÉTODOS: Um questionário padronizado foi utilizado para avaliar a compreensão da prescrição de medicação líquida por pais atendidos na emergência pediátrica do IPPMG/UFRJ. RESULTADOS: A amostra foi composta de 20 acompanhantes de crianças atendidas na emergência pediátrica do IPPMG, com idade média de 28,6 anos, maioria do sexo feminino, nível fundamental de escolaridade e com renda de 2 a 4 salários mínimos. Observou-se que nenhum entrevistado optou pelo uso da colher, 45% dos entrevistados optaram pelo uso de copo medidor e 55% dos acompanhantes optaram pelo uso da seringa, sendo evidenciada maior tendência a erros na administração quando o copo medidor foi utilizado. O contato prévio com serviço de saúde por internação esteve relacionado com menor número de erros de administração. CONCLUSÃO: O estudo sugere que ainda existe uma grande quantidade de cuidadores que erram a dose líquida prescrita. Tal situação pode ser considerada preocupante e a compreensão clara das falhas existentes pode evitar futuros e custosos erros, reforçando a importância de uma orientação adequada e de uma solução de dúvidas no atendimento médico.
Caso Clínico Interativo

4 - Disfonia e estridor em lactente

Dysphonia and stridor in infant

Disfonia e estridor em lactente

Bruna de Siqueira Barros; Silvia Calvano Orlando; Maria Isabel de Brito Almeida; Paloma de Carvalho Costa; Natália Rocha do Amaral Estanislau; Luciano Abreu de Miranda Pinto

Resid Pediatr. 2013;3(1):17-20

Resumo PDF Português
O objetivo é relatar o caso de um lactente internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) com história de disfonia e estridor progressivo.
Relato de Caso

5 - Tuberculose perinatal: Relato de Caso e Revisão da Literatura

Perinatal tuberculosis: Case Report and Literature Review

Tuberculose perinatal: Relato de Caso e Revisão da Literatura

Ana Flávia Malheiros Torbey; Cristiane Harumi Bazhuni Tsuge; Bernardo Alencar Siebra; Úlian A. G. Oliveira; Amanda S. Fonte; Lívia C. Barros; Claudete Aparecida Araujo Cardoso

Resid Pediatr. 2013;3(1):21-24

Resumo PDF Português
OBJETIVO: Destacar as dificuldades de diagnóstico de tuberculose perinatal e ressaltar que a tuberculose materna não tratada adequadamente leva a um risco aumentado da forma perinatal da doença. DESCRIÇÃO: Relatamos o caso de lactente de sete meses de idade que apresentou tosse seca, adenopatia, calcificações hepáticas na ultrassonografia abdominal, áreas de consolidações em vidro fosco na tomografia computadorizada de tórax e biópsia de linfonodo inguinal com inflamação crônica e necrose liquefativa, com isolamento de Mycobacterium tuberculosis. A mãe recebeu diagnóstico presuntivo de tuberculose dois meses antes da gestação, sem tratamento adequado, faleceu um mês após o parto e era a única fonte potencial de infecção identificada. O tratamento da criança com tuberculostáticos foi utilizado, com melhora clínica. COMENTÁRIOS: A tuberculose é prevalente no Brasil e seu diagnóstico deve ser considerado durante a gestação e infância; desta forma, pode ser diagnosticada e tratada adequadamente, reduzindo a morbimortalidade da população afetada.
Fique Alerta!
TOP: Tópicos Obrigatórios em Pediatria

8 - Conduta na pneumonia comunitária aguda em crianças com mais de 3 meses: manuais clincos da Sociedade de Doenças Infeciosas Pediátricas e da Sociedade Americana de Doenças Infecciosas

The Management of community-acquired pneumonia in infants and children older than 3 months of age: clinical practice guidelines by the Pediatric Infectious Diseases Society and the Infectious Diseases Society of America

Conduta na pneumonia comunitária aguda em crianças com mais de 3 meses: manuais clincos da Sociedade de Doenças Infeciosas Pediátricas e da Sociedade Americana de Doenças Infecciosas

Resid Pediatr. 2013;3(1):27

PDF Português